Ir para o conteúdo
Crescimento Pessoal

Como lidar com as crianças em casa durante a quarentena

No período de quarentena e com a necessidade de isolamento, em muitos lares brasileiros um novo desafio surgiu: trabalhar, estudar e ainda cuidar o dia todo das crianças. Afinal, com as instituições de ensino fechadas para o cumprimento das medidas protetivas, os pequenos também passaram a ter aulas, horários preestabelecidos para diversão, comida e outros afazeres, dentro de casa.

Enquanto alguns pais precisam sair para trabalhar, outros adaptaram suas rotinas ao home office. Assim, conciliar estudos, trabalho e esse cuidado essencial voltado às crianças, envolve também proteger a saúde mental e física dos filhos, uma vez que eles também são constantemente bombardeados por informações.

A responsabilidade é grande, mas não impossível de ser cumprida. Um dos pontos é explicar, de forma tranquila, o que está acontecendo. Dependendo da idade da criança, o ideal é colocá-la a par da situação de quarentena e isolamento e o porquê da importância de estar em casa com familiares ao invés de ir ao parque ou mesmo à escola. Por isso, selecionamos alguns tópicos fundamentais para auxiliá-lo nesse novo processo, visando a proteção de quem amamos.

Ansiedade e medo

Estar confuso com a nova realidade é normal. Por isso, o primeiro passo é não se sentir culpado por não conseguir dar conta de tudo. O cenário todo traz ansiedade e medo e isso pode também afetar os pequenos. As preocupações giram em torno das incertezas com relação à economia e, também, outras áreas.

O melhor caminho é se preparar emocionalmente. Por isso, para falar sobre os assuntos que envolvem a pandemia ou mesmo lidar com a constante presença das crianças em casa, tente se manter calmo. Tudo porque este pequeno cidadão, muitas vezes, confia muito em você e o tem como espelho para muitas atitudes.

Deixar que a ansiedade e o medo não transpareçam às crianças é fundamental. Para tanto, se você quiser e precisar conversar com seus filhos, procure retirar esses sentimentos da conversa. Se pelo mesmo motivo, a criança estiver com tais sentimentos, tente acalmá-la e mostre um outro lado da convivência em casa: com amor, carinho e respeito.

Além disso, é importante ser honesto de um modo que a criança entenda o que está acontecendo no mundo e porque os paradigmas mudaram. Ser didático e prático para conversar é o ideal.

Estabeleça uma agenda fixa

Para a criança que está em casa, é essencial que haja um planejamento também de suas ações e afazeres. Por isso, escreva uma rotina – pode ser em uma lousa, agenda ou caderno. Uma ideia simples é pegar uma folha de cartolina e desenhar um calendário, com horários para cada atividade.

Pode começar com itens a ser cumpridos em casa, como arrumar a própria cama, colocar água para os bichos de estimação, escovar os dentes após as refeições, ter tempo limitado para uso de tecnologia (tablets ou videogame, por exemplo), horário para as tarefas escolares e também para a diversão.

Ainda: procure ver se a criança absorveu essas informações, tanto para os cuidados que ela deve ter em relação à doença (não abraçar pessoas, lavar as mãos continuamente e os motivos de não visitar aos avós, por exemplo) e sobre a importância de se cuidar e cuidar de quem está próximo.

Entretenimento dentro de casa

Procurar entretenimento dentro de casa, para além das séries e de algo que envolva a TV, é um dos caminhos de sucesso para garantir a tranquilidade das crianças. Por isso, jogos de tabuleiro, brincadeiras de acampamento, festa, culinária, entre outras, podem ser gratificantes, além de manter a aproximação e o carinho necessários para esse momento de quarentena.

Além disso, buscar brincadeiras que incentivem o aprendizado e o cuidado com os outros e com a natureza, por exemplo, é de grande valor para iniciar a importância da solidariedade nas crianças. Assim, vale criar uma horta em casa com a participação dos pequenos, separar brinquedos e roupas para doação e ainda criar brincadeiras que envolvam histórias, fábulas entre outros gêneros de leitura.

Trata-se de uma forma de incentivar a leitura e estimular a imaginação, já que as crianças estão sem a rotina da escola e de outros afazeres – além da importância de ficar em casa, esse hábito aproxima a família de uma forma lúdica e inteligente.

Além disso, incentivar a criança a brincar sozinha ou com os irmãos reforça a independência e o potencial criativo dos pequenos. Quebra-cabeças, por exemplo, melhoram a capacidade motora e mental.

E você, conte para a gente como está sendo a sua quarentena com as crianças. Deixe seu comentário!

Conheça nossas faculdades