Ir para o conteúdo
Tendências e Inovação

A volta das marmitas: como o velho hábito está movimentando a economia

Marmitas

Com a correria do dia a dia, se alimentar corretamente (e de forma mais saudável) tem se tornado uma tarefa trabalhosa. Pensando nesse cenário, algumas pessoas decidiram investir em um novo negócio: o de marmitas.

Muitas vezes, pela falta de colocação no mercado ou vontade de desenvolver alguma coisa diferente, iniciar um novo negócio acaba sendo a opção de muitas pessoas que buscam trabalhar por conta própria.

E é sob esse cenário que muitos empreendedores resolveram olhar para esse mercado, aproveitando a diversificação do público e a necessidade de atender às dietas especiais, como as sem glúten ou sem produtos de origem animal, por exemplo.

A aposta

Alex e Antônio Guedes enxergaram a oportunidade no momento certo. Com um investimento inicial de R$ 5 mil, os empresários começaram o negócio com itens básicos, como eletrodomésticos essenciais e uma máquina para selar embalagens a vácuo. Com o passar do tempo, veio o boom das vendas e os irmãos tiveram que ampliar o time de dois para dez colaboradores. E a demanda não para de crescer.

Por ser um item essencial e de baixo custo, as marmitas acabam sendo uma opção bastante vantajosa para os consumidores. A falta de tempo para preparar refeições caseiras aliada à necessidade de buscar novos hábitos alimentares aumentou consideravelmente a busca pelo produto.

A preferência por marmitas saudáveis também é um fator relevante no mercado atual. Com a dificuldade de encaixar uma alimentação mais balanceada na rotina, surgiu a preferência pelas chamadas marmitas “fit”. Com opções menos calóricas e mais balanceadas, as versões leves caíram no gosto popular. “Hoje em dia as pessoas procuram comer melhor. Elas têm mais resistência aos industrializados e aos produtos com muito sódio, e dão vez para versões vegetarianas e veganas. É uma revolução”, completou o empresário Alex Guedes.

Economia e Praticidade

Com o aumento da preferência pelo pedido de refeições prontas, a exigência por um serviço de qualidade também aumentou. Uma seleção de produtos melhores, embalagens mais resistentes, cardápios exclusivos e um ágil e expandido serviço de entrega são alguns exemplos para o sucesso de muitos empreendedores que decidiram investir nesse ramo. “Antes de tudo, nos colocamos no lugar do consumidor. As pessoas querem opções de pagamento diversas, então passamos a aceitar vale-alimentação e refeição. Também temos a possibilidade de realizar a entrega nas catracas de metrô das principais estações de São Paulo. Tudo o que puder facilitar para quem compra, enxergamos como retorno para a nossa empresa. É importante estar atento para essas coisas”, disse Antônio Guedes.

Segundo especialistas em economia, o fornecimento de refeições caseiras e congeladas alcançou um crescimento de 22,5% no último ano, classificando-se como o mercado que mais cresce no cenário das refeições coletivas brasileiras.

Hoje, a empresa de Alex e Antônio entrega em média 400 marmitas por dia, o que resultou em um faturamento bruto de R$ 720 mil apenas em 2017. Com valores que variam de R$7,50 a R$30,00 a unidade, a busca pelos itens aumentou, já que se encaixa em diversas realidades econômicas.

O acesso dos clientes também tem sido um ponto importante para o fortalecimento desse serviço. Através da tecnologia, muitos empreendedores fazem uso das redes sociais para a divulgação dos produtos. Além disso, a popularização de sites e aplicativos específicos que ajudam o empreendedor também contribuíram para o fortalecimento desse mercado.

Ao unir praticidade e conveniência, o hábito de consumir marmita só cresce, e esse mercado ainda tem muito mais espaço para avançar, afinal, quem resiste a uma refeição fresquinha e prática?

Tem vontade de começar o seu próprio negócio? Por que não considerar essa ideia? Confira os nossos cursos e prepare-se para empreender com sucesso.

 

Conheça nossas faculdades