Ir para o conteúdo
Curiosidades

7 dicas de Gustavo Cerbasi para organizar a sua vida financeira

casal planejando a vida financeira para ilustrar texto sobre dicas de gustavo cerbasi

Gustavo Cerbasi é, atualmente, o maior nome quando falamos em educação financeira do Brasil. Eleito pela Revista Época um dos 100 brasileiros mais influentes, ele é autor de diversos livros sobre o tema, incluindo os best-sellers “Como organizar sua vida financeira” e “Investimentos inteligentes”. Com base nisso, separamos algumas dicas de Gustavo Cerbasi que vão te ajudar a se organizar financeiramente.

Dicas de Gustavo Cerbasi 

Quer saber mais? Confira abaixo:

1 – O primeiro passo é o autoconhecimento

A primeira coisa a se fazer para organizar a sua vida e o seu dinheiro é conhecer mais sobre si. Analise as informações mais relevantes para você financeiramente, como a renda mensal, os gastos e os investimentos.

Além disso, saiba por que você quer guardar dinheiro. É para investir em imóveis? Comprar um carro? Pagar uma pós-graduação? Ter um fundo de emergência? A resposta vai te guiar para criar um plano financeiro. 

2 – Organize o seu orçamento doméstico

O orçamento doméstico mostra etapa por etapa da sua trajetória nessa organização financeira – ou seja, de onde você saiu e o quanto precisa para atingir os objetivos. 

O objetivo de ter esse “mapa do tesouro” em mãos é saber quais são os seus gastos de uma maneira detalhada e o quanto consegue guardar por mês.

Lembre-se: os gastos se dividem em fixos e variáveis – o primeiro são as contas mensais obrigatórias e o segundo considera outros custos, como lazer. 

3 – Saiba usar o seu orçamento

As dicas de Gustavo Cerbasi para usar bem o seu dinheiro é anotar todos os meses o quanto você gasta, observar como o padrão de consumo evoluiu e refletir sobre as escolhas financeiras (por ex: você precisa realizar essa compra nesse momento ou pode pesquisar preços até encontrar mais barato?). 

Ele também indica guardar 5% do salário para emergências e simular situações muito extremas, como perder a renda. Assim, é possível fazer algum ajuste caso seja necessário. 

Leia também: O que é educação financeira e para que ela serve?

4 – Prepare-se para o momento das compras

Na hora de fazer as compras do dia a dia, como ir ao supermercado, faça uma lista e saiba exatamente o que é mais necessário e o quanto de dinheiro você pode gastar. Se possível, pesquise preços em diferentes estabelecimentos e escolha aquele que vale mais a pena para o seu orçamento. 

No caso de gastos maiores, aqueles que você opta pelo parcelamento, saiba definir um prazo. Assim, você consegue saber o quanto do seu salário precisa economizar por mês e por quanto tempo até quitar todas as dívidas.

Não esqueça de acompanhar todos os meses a sua reserva de dinheiro, ou seja, quanto você tem guardado e quanto está gastando. Assim, você consegue avaliar se, de fato, precisa parcelar compras, se conseguirá pagá-las sem se apertar ou se é necessário reavaliar seus gastos no próximo mês. 

5 – Pense em soluções para equilibrar sua dívidas

De acordo com o autor, o maior problema quando se usa o crédito especial, cartão de crédito ou qualquer outro meio que te gerou dívidas não é extrapolar o limite desses gastos. O ruim é não se esforçar para corrigir isso e tentar voltar ao equilíbrio financeiro. 

Ele menciona que os maiores erros são não prestar atenção para os juros cobrados nos financiamentos ou em compras parceladas, além de superestimar a sua própria capacidade de pagamento das prestações. Ou seja, não pense que você tem mais dinheiro do que realmente tem. Isso pode ser prejudicial na hora de fazer as contas. 

Para estancar a saída de dinheiro e conseguir economizar, o primeiro passo é reduzir os gastos variáveis – aqueles que não são relacionados à moradia, alimentação e contas mensais de água, luz, internet, entre outras. É preciso eliminar todos os gastos supérfluos até que as dívidas voltem a um patamar aceitável e que você consiga se bancar de uma maneira confortável. 

6 – Investimentos são bens necessários

É uma regra: para que se conquiste a segurança financeira, é preciso poupar. O problema é que somente economizar dinheiro não é o suficiente para fazer crescer o patrimônio e se torna necessário estudar mais sobre investimentos e colocar esse conhecimento em prática.  

Cerbasi afirma que não é necessário ser um expert no mercado financeiro para investir – e, o mais importante, ter retorno. O essencial é se manter atualizado e contar com uma boa assessoria de investimentos que te dê o apoio para realizar as melhores escolhas. 

7 – Busque a independência financeira

Embora seja fundamental fazer planos financeiros para o futuro, o mais importante, segundo as dicas de Gustavo Cerbasi, é ter independência financeira. Isso porque, lá na frente, você consegue viver uma vida confortável sem precisar se endividar ou ter escolhas profissionais que demandam ter uma poupança, como mudar de área ou se aposentar.

Agora, conheça as opções de pós-graduação Anhanguera EAD que vão impulsionar o seu crescimento profissional. 

Conheça nossas faculdades