Ir para o conteúdo
Mercado de Trabalho

Engenharia: 3 tendências para a área

Tendências da Engenharia

A  Engenharia no Brasil está entre as mais tradicionais e promissoras áreas de atuação, e não é de hoje. Com diversas especializações e campos de atuação, muitas pessoas almejam entrar nesse mercado e traçar uma carreira realmente promissora. 

Ainda que tradicional, as engenharias – no plural, pois a área contempla ramos como a engenharia civil, mecânica, elétrica e muitas outras – estão em constante evolução, acompanhando e passando por transformações para atender as demandas de um mundo cada vez moderno, conectado e dinâmico.

Desta forma, a engenharia passa por uma intersecção cada vez maior com outras áreas do saber, especialmente no que se refere às novas tecnologias proporcionadas pela internet. Além disso, a busca por uma “engenharia sustentável” também é crescente.

Assim, mesmo sendo uma vasta área, é possível estabelecer algumas tendências para o mercado da engenharia por meio de suas especializações. Um exemplo são os cursos de pós-graduação. Eles buscam proporcionar os conhecimentos necessários para que os profissionais do ramo estejam capacitados para lidar com as novas demandas de suas profissões. 

A seguir, conheça três tendências para o mercado da engenharia.

INDÚSTRIA 4.0

A Indústria 4.0 é um conceito inovador que visa modernizar aos processos industriais com as tecnologias e conhecimentos de diversas áreas, como a Internet das Coisas (IOT), Inteligência Artificial, Data Science, Machine Learning, Big Data, Computação em Nuvem, entre outras.

Também chamada de Quarta Revolução Industrial, a Indústria 4.0 é capaz de criar processos mais eficientes, automatizados e econômicos para as indústrias, trazendo este setor da economia definitivamente para o Século XXI.

Segundo um estudo realizado pela CNI (Confederação Nacional das Indústrias), a implementação das tecnologias e práticas da Indústria 4.0 é capaz de gerar uma economia de R$73 bilhões por ano para as indústrias do país. Ainda assim, apenas 1,6% das fábricas brasileiras estão conectadas e usam processos inteligentes relacionados à Indústria 4.0. 

A capacidade de otimizar processos e reduzir gastos em uma indústria faz com que a demanda por profissionais especializados nesta área seja cada vez maior no Brasil. O baixo número de implementação da Indústria 4.0 nas fábricas brasileiras também não é algo negativo. Ao contrário, indica, mais uma vez, um mercado amplo para os engenheiros.

E quando falamos em pós-graduação, essa é uma opção excelente para quem tem formação não apenas em engenharia, mas ainda em cursos como Administração de Empresas e Economia. Isso porque o curso vai além da Capacitação Tecnológica sobre a Indústria 4.0 e seus princípios, explorando também oportunidades por meio de pesquisa das principais necessidades do Brasil. Assim, de forma abrangente, é possível entender a constante adaptação acerca das novas tecnologias emergentes

CIDADES INTELIGENTES

Provavelmente você já se deparou com o termo Cidade Inteligente ou Smart City em algum lugar. Este conceito é uma tendência não só para a engenharia, mas para diversas outras áreas correlatas, e representa a oportunidade de fazer das cidades, especialmente as grandes metrópoles, um lugar com mais qualidade de vida para seus habitantes por meio de infraestrutura e planejamento que use a tecnologia e a modernidade em seu favor.

Uma cidade inteligente tem como fundamento a integração e a conectividade. Para tanto, engloba práticas e conceitos da Internet das Coisas (IoT), Machine Learning, Computação em Nuvem, Big Data e Data Science (percebeu como esses conteúdos também aparecem na Indústria 4.0? Não é coincidência!), entre outras áreas para que a cidade seja realmente um espaço integrado e conectado.

Desta forma, é possível fazer um uso otimizado de informações interconectadas em cada espaço da cidade para realizar operações, gerenciar recursos, atender demandas, resolver problemas e, o mais importante de tudo, fazer da cidade um lugar melhor para seus moradores.

Com tantos conceitos amplos e relevantes, o curso de pós graduação em Cidades Inteligentes é enriquecedor para engenheiros e também arquitetos e gestores ambientais que poderão criar soluções inteligentes e tecnológicas para o bom desenvolvimento das cidades. Tudo isso unindo o bem-estar dos habitantes com o respeito ao meio ambiente, resultando em uma sustentabilidade urbana.

SUSTENTABILIDADE

Uma das grandes preocupações do mundo contemporâneo é garantir um crescimento econômico e social por meio de um desenvolvimento sustentável para o planeta em que vivemos. Neste cenário, a engenharia está na linha de frente atuando na criação de soluções para reduzir a emissão de gás carbônico (CO2), reaproveitar e descobrir materiais mais sustentáveis, evitar a escalada da poluição, entre outros. 

Um grande exemplo é a busca por fontes alternativas de energia, que sejam não só sustentáveis, mas também renováveis, gerando pouco ou nenhum impacto ao Meio Ambiente quando comparadas às formas convencionais de geração de energia.

Dessa forma, a pós-graduação em Fontes Alternativas de Energia é indicada para profissionais das áreas de Engenharia, Tecnologia, Meio Ambiente, entre outras que estão relacionadas ao desenvolvimento sustentável por meio de energias renováveis. Além de conhecimento sobre o meio ambiente e as principais legislações ambientais, o profissional ainda vai se capacitar na busca por diferentes tipos de sistemas de energia no Brasil e no mundo, encontrando soluções de acordo com uma visão técnica, moderna e qualificada.

Conheça nossas faculdades