Ir para o conteúdo
Tendências e Inovação

Dez recomendações da UNESCO para o EAD

recomendações da UNESCO para o EAD

A UNESCO (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura), reuniu organizações internacionais, entidades filantrópicas, empresas do setor privado e a sociedade civil em uma grande junção, chamada de Coalizão Global de Educação, em prol da garantia que sustenta a hashtag #AprendizagemNuncaPara.  Por meio das “Dez recomendações da UNESCO para o EAD”, a ideia da coalizão é aumentar o apoio aos países para que ampliem suas melhores práticas de Ensino a Distância. A coalizão surgiu recentemente como atitude diante da pandemia do coronavírus, que impactou, segundo dados da própria UNESCO, 87% da população mundial de estudantes. Mais de 1,5 bilhão de estudantes em 165 países foram afetados pelo fechamento de escolas devido à Covid-19.

“Nós nunca antes havíamos testemunhado a interrupção educacional em uma escala como esta”, disse a diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay. “A parceria é o único caminho a seguir. Esta coalizão é um apelo para a ação coordenada e inovadora, para desbloquear soluções que não apenas darão suporte imediato a estudantes e professores, como também por meio do processo de recuperação com o principal foco na inclusão e na equidade”.

Despreparo de professores e falta de estrutura

Um pesquisa realizada pelo Instituto Península apontou, logo no início da pandemia, que oito em cada dez professores não se sentiam preparados para ministrar suas aulas de maneira online. De acordo com a UNESCO, desde o fechamento das escolas e instituições de ensino em geral, diversas soluções para a implementação de recursos para o EAD tiveram de ser instaladas, muitas vezes sem a ambientação da modalidade para quem não estava familiarizado com ela, além de os alunos também terem sido pegos de surpresa pelo novo método.

A preocupação da Organização é justamente com a equidade no ensino, uma vez que muitos alunos não possuem a estrutura necessária sequer para acompanhar as aulas de forma satisfatória. Os estudantes ficaram vulneráveis, tanto quanto os professores que não estavam preparados. Por isso, dentro das recomendações da UNESCO para o EAD e segundo Amina Mohamed, vice-secretária-geral das Nações Unidas, a ONU (Organização das Nações Unidas) “este não é o momento para aprofundar as desigualdades. É tempo de investir no poder transformador da educação. Na medida em que entramos na década de ação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, nossa responsabilidade como uma comunidade global consiste em não deixar absolutamente ninguém para trás”.

Atendimento aos menos favorecidos

Conforme o divulgado para a imprensa, a Coalizão Global de Educação atenderá às necessidades específicas dos países, conforme previsto durante as reuniões de ministros da Educação convocadas pelo órgão, para seguir as recomendações da UNESCO para o EAD. Além disso, ela se esforçará para atender às necessidades com soluções gratuitas e seguras, unindo parceiros para tratar os desafios da conectividade e de conteúdos, entre outros.

De acordo com o documento, em todas as intervenções, será dada atenção especial para garantir a segurança dos dados e a proteção da privacidade de estudantes e professores.

As dez recomendações da UNESCO para o EAD

Dentro do comprometimento da UNESCO e dos membros da Coalizão Global de Educação, os princípios recomendados pela Organização, perpassam:

  • Fornecimento de ferramentas digitais e soluções de gestão da aprendizagem;
  • Comprometimento das instituições estudantis e governamentais para que o trabalho online conte com recursos educacionais nacionais digitalizados;
  • Recursos viáveis para o EAD, dentro de cada contexto, local e condições, sejam ofertados; 
  • Privacidade e proteção de dados sejam consideradas;
  • Soluções sejam acessíveis e gratuitas;
  • Conteúdos alcancem em equidade alunos e professores em todo o mundo.

Em especial, a Coalizão tem por propósito:

  • Ajudar os países na mobilização de recursos e na implementação de soluções inovadoras e adequadas ao contexto para fornecer educação a distância, utilizando abordagens de baixa e alta tecnologia, ou mesmo sem nenhuma tecnologia;
  • Buscar soluções equitativas e acesso universal;
  • Assegurar respostas coordenadas e evitar a duplicação de esforços;
  • Facilitar o retorno de estudantes às escolas e instituições de ensino em geral quando reabrirem, para evitar um aumento nas taxas de abandono. 

Preparação para ministrar aulas online

É fato que a modalidade EAD tem suas particularidades voltadas à metodologia de ensino diferenciado e, muitas vezes, as habilidades podem ser aprimoradas por meio de cursos complementares. Por isso, o Portal Pós selecionou, diante das recomendações da UNESCO para o EAD, entre algumas oportunidades, cursos que podem torná-lo especialista no assunto, além de conquistar uma nova oportunidade de aprendizado e habilidade diferenciada em sua carreira. Veja só:

EAD e Tecnologias Educacionais

Dentro das recomendações da UNESCO para o EAD, o curso de EAD e Tecnologias Educacionais reforça o comprometimento do docente para ministrar suas aulas online, com o desenvolvimento de competências novas em educação. Além disso, capacita os profissionais em relação a adoção de ferramentas digitais e incita a reflexão sobre a importância da aquisição do conhecimento sobre as novas metodologias de ensino e maneiras de aprendizagem.

Traz também ao conhecimento do docente as principais práticas relativas à mídias audiovisuais e digitais, roteiros de materiais didáticos e ainda familiaridade com conceitos atuais, como por exemplo, sobre tutoria virtual e ensino efetivo, com a preocupação em melhorar suas habilidades digitais em ambientes virtuais e considerar o gerenciamento e inovação em aulas, como a abordagem da gamificação, simulação, entre outras tendências do EAD.

Metodologias Para a Educação a Distância

O curso aborda o desenvolvimento de competências relacionadas a todo processo adotado por metodologias de ensino a distância, como planejamento, concepção e gestão de aulas. Com objetivo de complementar as habilidades do docente, o curso traz tendências e desafios do EAD e ensina ao professor a compreensão e produção de materiais didáticos necessários para as aulas, desde a produção, tutoria e avaliação.

Conte para o Portal Pós, nos comentários, como é sua experiência no ensino EAD. 

 

 

Conheça nossas faculdades