Ir para o conteúdo
Mercado de Trabalho

Montando o currículo perfeito

currículo

Mesmo em tempos de LinkedIn, saber elaborar um bom currículo faz toda a diferença. Devemos encará-lo como um resumo das nossas informações profissionais mais importantes, de maneira que ele conte uma história a pessoas que nunca encontramos pessoalmente.

Candidatar-se a uma vaga com um currículo considerado fraco ou mal redigido pode fazer com que o candidato seja descartado de um processo seletivo ainda em fase inicial, pois é possível que o recrutador compre a ideia de que aquele perfil não se adeque ao trabalho.

É importante lembrar que, na fase de contratação, um profissional de RH tem centenas de fichas em mãos. O que faria os olhos dele brilhar ao ver a sua candidatura? Essa é uma pergunta válida em cada oportunidade de entrevista.

Para ajudar na elaboração de um CV interessante, conversamos com a consultora em recursos humanos Elismere Machado, que enumerou algumas dicas. “Não existe uma fórmula mágica para fazer um bom resumo. É o profissional que consegue definir o que pode ser pertinente a uma determinada vaga e não a outra. Apesar disso, alguns passos básicos podem facilitar a construção com fluidez do conteúdo”.

Dados pessoais? Só o necessário

Números de documentos, CEP, estado civil… Muitas dessas informações já não são necessárias. Concentre-se no mais importante: nome completo, url de portfólio ou LinkedIn, e-mail, telefone, idade e endereço. Isso é tudo o que você precisa colocar no topo.

A apresentação é importante

Antes de colocar as suas experiências educacionais e profissionais, fale um pouco sobre você de forma sucinta. Nesse espaço você pode, por exemplo, citar habilidades e características que considere diferenciais.

O objetivo não saiu de moda

Nem todo currículo é disparado para uma vaga em aberto, às vezes só estamos pleiteando alguma chance, e é aqui que entra a importância do “objetivo”. Se você se interessa em vendas internas e não externas, especifique. As chances de você ser redirecionado para a área competente são muito maiores.

Descreva a sua formação acadêmica

Ao longo da vida vamos fazendo uma série de cursos. Defina quais foram os seus (ou aqueles que julgar necessários), em que instituição, qual a modalidade (gradução, pós, livre e etc) e a data de início e término ou se ainda está em execução.

Experiência profissional é a cereja do bolo

Não basta colocar o nome das empresas por onde passou ou quanto tempo ficou em cada uma delas. Relatar detalhes importantes da sua rotina nesses lugares pode ajudar o recrutador a saber exatamente quais são suas habilidades mais desenvolvidas nos seus últimos anos.

Atividades extracurriculares? Sim, por favor.

Talvez você ache que aquele curso de cerâmica ou de fotografia não ajuda em nada na sua busca por uma vaga na publicidade, por exemplo. Muito pelo contrário. Esse tipo de habilidade mostra que você é uma pessoa única e tem outras competências que podem influenciar positivamente no desenvolvimento dentro do novo emprego. O mesmo vale para atividades voluntárias que acrescentam bastante no trato interpessoal, uma qualidade bastante importante para quem trabalha em equipe.

O currículo não substitui o LinkedIn

A rede social pode dar mais detalhes de coisas que você julga necessárias, mas que ficariam em segundo plano no currículo. No LinkedIn tudo pode. Cite cada experiência, seja ela filantrópica ou profissional, peça depoimentos aos seus colegas e superiores, descreva um pouco mais da sua personalidade. A regra aqui é vender seu peixe. Para os recrutadores te localizarem com mais facilidade, coloque a sua url já nas informações principais no topo do seu currículo.

Teste um design atrativo

Foi o tempo em que um currículo era obrigatoriamente quadrado e sem graça. Hoje, mesmo se for um profissional de uma área mais formal, colocar cores e fontes em uma formatação interessante também pode ser um aliado na hora em que você precisa de destacar. Se você não domina nenhuma ferramenta de edição, o site Canva pode te ajudar gratuitamente com templates pré-definidos.

Não minta

Por último, mas não menos essencial. Às vezes, colocar que aquele idioma é fluente quando não é ou citar que domina alguma habilidade quando ainda não é verdade pode te comprometer ou até desgastar sua imagem em determinada empresa. Sempre escolha falar a verdade.

Está pronto para tentar mais coisas novas além de um emprego? Nós temos várias opções de especialização que podem te ajudar.

Conheça nossas faculdades