Ir para o conteúdo
Crescimento Pessoal

Quarentena: cuide de sua saúde mental

As notícias não são nada animadoras. A pandemia do COVID-19 mudou a percepção, a forma de trabalho e muitos costumes pessoais, em todos os lugares do mundo. Uma das ações de proteção e tentativa de diminuir a curva de transmissão da doença é o isolamento social. Quarentena é outro termo novo e, no momento, de uso recorrente.

No entanto, ficar em casa o tempo todo, perder o contato com amigos, parentes e pessoas queridas, bem como não frequentar lugares habituais, pode gerar crises de ansiedade. Desta forma, o Portal Pós selecionou algumas dicas da OMS (Organização Mundial da Saúde) para que esse período seja um pouco menos tenso e para que sua saúde mental fique preservada da melhor forma.

Cuide de sua vida social, mesmo à distância

Talvez uma das piores sensações da quarentena seja a de “estar sozinho”. Por isso, a OMS recomenda que, mesmo à distância, o contato social seja mantido. Atualmente, temos a tecnologia a nosso favor. Os smartphones e seus diversos aplicativos permitem conversas, para além de uma ligação telefônica.

É possível conversar por meio de videochamadas e se distrair, fugindo do assunto pandemia. Além disso, mesmo que essa conversa não aconteça com um grupo de amigos, o fato de ter alguém para conversar é altamente benéfico para tempos de crise. Com muitas pessoas sentindo-se sozinhas, o apoio mútuo é a grande saída.

Escolha as notícias que vai ler

As informações a respeito da pandemia pipocam por muitos meios de comunicação. Da mesma forma que a tecnologia é usada para o bem, também pode ser um grande mal, por exemplo, ao disseminar informações alarmistas e desesperadoras. Por isso, o recomendado é que você faça um filtro das notícias que recebe.

Desta forma, se quiser saber a quantas anda o coronavírus por aí, veja notícias de órgãos oficiais, como o Ministério da Saúde, ou da própria OMS e deixe de lado as informações sobre remédios milagrosos para o tratamento do COVID-19, bem como situações alarmantes espalhadas aos quatro cantos do mundo.

Crie uma rotina

Nem todo mundo tem tempo disponível para meditar e pensar em momentos de lazer. Por isso, criar uma rotina que inclua pequenas pausas em seu dia corrido pode ser uma medida eficaz. Tudo porque ficar sem fazer nada ou, ainda, se culpar por não conseguir cumprir metas podem trazer mais ansiedade e preocupação.

Para quem está mais habituado a estudar ou trabalhar em casa, o momento atual não traz tanta novidade. Afinal, sem ter um direcional eficiente de horários e rotinas preestabelecidas, o trabalho/estudo tendem a não andar.

Cuide de si mesmo

Retirar ao máximo a pressão de sua cabeça é a mensagem por trás deste autocuidado. Assim, fazer algo de que goste e que se encaixe em sua agenda, só ajudará neste processo. Por isso, separe alguns momentos do dia para ouvir música, assistir séries, brincar com os filhos, cozinhar ou ainda fazer exercícios físicos em casa.

Neste momento de quarentena é provável que fiquemos mais vulneráveis. Entretanto, buscar motivações que tornem tudo isso um pouco mais positivo é essencial para deixar a saúde mental em ordem.

Como faz quem não pode se isolar?

A preocupação de quem presta serviços essenciais e não conta com a possibilidade de ficar em casa é imensa. Além de ser necessário que este indivíduo circule, muitos ainda trabalham em hospitais, farmácias, supermercados e outros pontos que mantêm o contato com o público – que também precisa dos serviços essenciais.

Neste caso, antes de entrar em parafuso, o melhor a fazer é se proteger. Procure formas de fazer máscaras, lave as mãos continuamente e procure manter ao menos 1,5m de distância de outras pessoas. Esqueça abraços, apertos de mão e, ao retornar à casa, tome um banho, troque de roupa e relaxe um pouco.

Busque ajuda profissional

Se sua saúde mental estiver em risco, busque ajuda profissional. Com a solidariedade em alta, diversos profissionais das áreas de saúde mental (psicólogos, psiquiatras, terapeutas, entre outros) estão realizando consultas com o uso da tecnologia e gratuitamente.

Uma boa conversa pode aliviar os principais sintomas de estresse e fazer com que parte das preocupações seja dividida ou mesmo diluída com um bom papo e apoio. Lembre-se: estamos juntos nessa luta contra o coronavírus.

Quais ações você está fazendo para cuidar de sua saúde mental? Conte nos comentários! #PósEmCasa

Conheça nossas faculdades