Ir para o conteúdo
Você na Pós

Pós-graduação em Fisioterapia: conheça as melhores opções

Espaço com equipamentos de fisioterapia para indicar pós-graduação em Fisioterapia

A área da fisioterapia é uma das que mais oferece campos de atuação distintos, que podem ser escolhidos pelo profissional de acordo com suas afinidades. Entre eles destacam-se os seguintes cursos de pós-graduação em Fisioterapia: Fisioterapia Neurofuncional, Ortopédica, Traumo-ortopédica (com ênfase em terapias manuais e ortopédicas), Cardiorrespiratória e Fisioterapia em Terapia Intensiva. 

Com o início da pandemia, os fisioterapeutas tiveram sua importância ainda mais valorizada. A crise de saúde veio comprovar a necessidade da atuação destes profissionais, principalmente para ajudar na cura e no tratamento de pacientes que foram acometidos pelas formas mais graves da doença e precisam ficar diversas semanas internados – muitas vezes, em unidades de terapia intensivas. 

No entanto, mesmo fora do contexto pandêmico, trabalhar com fisioterapia requer estudo constante e disponibilidade para renovar o que se sabe. Novas tecnologias e descobertas afetam essa área de conhecimento médico e, por isso, é essencial buscar um curso de especialização no qual o profissional possa desenvolver ou aprimorar suas habilidades. Quem já precisou ser tratado por um fisioterapeuta sabe o valor que tem essa carreira. 

Saiba mais sobre os cursos de pós-graduação em Fisioterapia

Para quem está interessado em estudar o funcionamento do cérebro, por exemplo, a pós em Fisioterapia Neurofuncional é o caminho certo a seguir. Também chamada de Fisioterapia Neurológica, ela ajuda a tratar limitações de movimentos que podem ser fruto de doenças ou acidentes que tenham afetado o sistema nervoso do paciente. É uma das áreas que mais exige paciência e aperfeiçoamento por parte do fisioterapeuta e lida com enfermidades como doença de Parkinson, esclerose múltipla, hidrocefalia, paralisia e derrame cerebral, além de traumatismos cranioencefálicos. 

Já a Fisioterapia Cardiorrespiratória lida diretamente com a reabilitação das funções cardíaca e respiratória, antes e depois de cirurgias, ou ainda quando há recomendação médica. Ela se aprofunda nos sistemas vascular e metabólico dos pacientes e procura garantir qualidade de vida de pacientes que têm dispneia, fadiga e tosse; e ainda melhora a tolerância destas pessoas a exercícios físicos e atividades diárias que exijam maior grau de desempenho cardiovascular.

Leia também: Mercado de trabalho para Fisioterapia: tudo o que você precisa saber

Por outro lado, os ramos da fisioterapia ligados à superação de enfermidades causadas por traumas ortopédicos costumam ser mais comumente ligados ao trabalho do fisioterapeuta. Entre eles, destaca-se a área traumato-ortopédica, responsável por tratar de lesões nas quais os ossos que compõem uma articulação estão deslocados de seu lugar. Vale citar ainda a especialização em fisioterapia mais buscada no atual momento, que é a do fisioterapeuta capaz de trabalhar no ambiente das unidades de terapia intensivas, as chamadas UTIs, um dos postos de maior especificidade e cujos bons profissionais são extremamente concorridos. 

Cabe a ele lidar com casos críticos de internação – e como tem sido bastante citado ultimamente, é este fisioterapeuta o responsável por processos de assistência ventilatória, além de outras intervenções terapêuticas que garantam a mobilidade e a qualidade de vida de quem está em estado grave. Ou seja, é uma área fundamental da medicina e mais um motivo para o estudante recorrer à pós-graduação em fisioterapia.

E aí, ficou com vontade de aprofundar seus conhecimentos em algumas destas áreas tão interessantes? Saiba mais sobre o curso da pós-graduação EAD Pitágoras e veja outros cursos de Pós Pitágoras.  

Conheça nossas faculdades