Ir para o conteúdo
Mercado de Trabalho

O que é Psicologia Escolar e como trabalhar nessa área

Psicologia Escolar: criança pintando

O atendimento psicológico voltado para a educação pode ser um bom campo para quem deseja se especializar em uma área bem definida da Psicologia. Além de atuar em escolas públicas ou privadas, é possível ter autonomia e trabalhar como profissional liberal, sem estar vinculado a uma empresa ou instituição e, ainda, atender de forma individual ou coletiva. A tarefa essencial, no entanto, é a mesma: ajudar estudantes das mais variadas idades a se desenvolverem melhor e contribuir para um ambiente de ensino mais saudável.

Trabalhar com Psicologia Escolar significa ser responsável por trabalhar práticas capazes de impactar positivamente não só a vida de alunos como de professores, diretores e funcionários educacionais em geral. Em muitos casos, até mesmo as famílias dos estudantes acabam sendo envolvidas nas dinâmicas psicopedagógicas.

Leia também: Por que a área da saúde mental está em evidência?

Essa função se desenvolve através de avaliações, ações terapêuticas específicas, treinamentos e diagnósticos. Ter um psicólogo escolar na equipe significa cultivar um olhar mais atento – e cuidadoso – para o que se passa na fase de amadurecimento e aprendizagem. 

Muitas vezes, precisará lidar com situações complexas como alunos apáticos diante do ensino, com problemas pessoais em casa, que têm dificuldade na relação com o professor, além dos diversos casos em que comportamentos extremos se mostram presentes. É nessa hora que o psicólogo escolar se faz extremamente necessário até para ajudar a orientar o que mestres e outros educadores podem fazer em contextos assim. 

Qual a atuação do profissional de Psicologia Escolar?

A atuação deste tipo de profissional está, muitas vezes, focada na prevenção e na identificação precoce de problemas psicológicos que possam afetar o aluno ou a dinâmica do grupo em questão. Ainda nessa mesma linha, ele pode ser agente de mudanças dentro da instituição de ensino, funcionando como aquele que propõe mudanças em modos de atuação já viciados, repensando processos que podem estar ultrapassados com a atual realidade da criança e do adolescente e ajudando a desenvolver outros funcionários que lidam diretamente com os alunos. 

Para todas essas questões, é imprescindível que o psicólogo escolar tenha boa formação e esteja atualizado com os principais acontecimentos em seu entorno. Cabe a ele focar no indivíduo, mas sem perder de vista o contexto da organização em que está inserido. 

O trabalho do psicólogo escolar obedece à resolução do Conselho Federal de Psicologia e dentro de cada estabelecimento de ensino ele pode agir em acordo com um corpo docente multidisciplinar. Caso fique mais restrito à área administrativa das entidades e escolas, estará encarregado de definir ações mais macro, como criar processos educacionais, ajudar na criação de testes e avaliações e fazer intervenções quando necessário.

É possível também encontrar oportunidades na área da cultura, já que não são raros os casos nos quais instituições artísticas trabalham aliadas a escolas (de todos os tamanhos) para promover um intercâmbio entre arte e educação. Trata-se de uma carreira de alto desenvolvimento humano e muito contato interpessoal. E você, se identifica com ela? 

Agora, aproveite para conhecer os cursos de Pós-Graduação Pitágoras e as possibilidades que o EAD Pitágoras oferece para o desenvolvimento da sua carreira. 

 

Conheça nossas faculdades