Ir para o conteúdo
Crescimento Pessoal

O que é resiliência?

No dicionário, resiliência é definida como “aquilo que pode retornar à forma original após sofrer pressão ou deformação elástica”. Se traçarmos um paralelo com a vida, isso pode ser entendido como a força que nos põe de pé depois de um tombo – ou vários.

Não falamos muito sobre fracassar, mas é importante dar atenção ao assunto. Afinal, é ele que nos ajuda a criar novas percepções sobre como lidamos com os desafios diários. Alguém que sempre acerta ou se dá bem, seguramente não sabe como sair de adversidades. Mas, um indivíduo comum, que vez ou outra falhou, conhece maneiras de se reerguer. Esse é um ser resiliente.

O ex-jogador de basquete Michael Jordan foi uma estrela rara, mas nem por isso teve uma ascensão mais fácil. Em diversas ocasiões Jordan falou do quanto os erros foram importantes na sua trajetória. “Eu errei mais de 9.000 arremessos na minha carreira. Perdi quase 300 jogos. Em 26 oportunidades, confiaram em mim para fazer o arremesso da vitória e eu errei. Eu falhei muitas e muitas vezes na minha vida. E é por isso que tenho sucesso.”

O ponto mais importante sobre ser resiliente é exatamente isso: ter consciência de que não temos controle absoluto de cada resultado, mas que podemos nos aprimorar e continuar em busca dos objetivos – sobretudo, os individuais.

Treinando a sua força

Nos últimos anos, psicólogos e psicanalistas têm explorado bastante o tema e acabaram traçando objetivos para que seja possível pôr em prática a resiliência em pequenos e diários exercícios. Manter estes simples passos em mente podem ajudar no desenvolvimento e amadurecimento de cada ser humano de forma quase automática.

  • Aceite o fato de que as mudanças são as únicas coisas permanentes no ciclo da vida. E isso não é necessariamente ruim. Tudo está em movimento e depende apenas da sua perspectiva enxergar cada episódio como algo engrandecedor.
  • Crie pequenas metas de acordo com as prioridades. Afinal, é muito mais fácil equilibrar e planejar pequenos afazeres diários do que estabelecer alguma coisa muito grande e que demanda uma energia descomunal.
  • Aceite sua humanidade. Por mais esforçado e focados que sejamos, não dá para entregar 100% todo o tempo. Viver em paz com essa ideia é um bom norte.
  • Se conheça. Eventualmente, volte atrás das soluções que tomou para superar um problema e veja o que funcionou para poder aplicar em outras situações. Ninguém melhor que você para conhecer a sua história.
  • Por fim, mantenha uma rotina com um psicólogo ou outro profissional de área relacionada. Na nossa sociedade a mente é tratada com menos importância do que o corpo, por exemplo, mas uma boa análise pode ser transformadora.

Ficou interessado nas questões psicológicas que nos rodeiam? Conheça nossos cursos de pós-graduação da área.

Conheça nossas faculdades