Ir para o conteúdo
Carreira em Pauta

Liderança participativa: o que é e por que você deveria aplicar?

Muito se fala sobre liderança hoje em dia. A quebra da ideia de que um chefe é só aquela figura que dá as ordens se transformou em alguém que está presente nos processos de gestão da empresa e consegue ter uma boa interação com todos os colaboradores, auxiliando no crescimento dos resultados e na organização da equipe. É daí que surge o conceito de liderança participativa.

Se você nunca ouviu falar nessa ideia, nós te explicamos agora! De uma maneira objetiva, a liderança participativa é um modelo que se baseia na organização e fundamentada em processos bem definidos. A partir dessas ações, se torna possível (e muito mais fácil) colocar em prática o trabalho em equipe e ter muitos benefícios dentro da empresa.

Quais os diferentes tipos de liderança que existem no mundo corporativo?

Antes de falarmos sobre os benefícios da liderança participativa, é importante entender as diferenças entre cada tipo de líder que existe dentro das empresas: São três: o líder autocrático, o liberal e o democrático.

Na autocracia, o líder segue um método controlador, centralizando todas as decisões e se baseando no medo e na falta de liberdade de escolha para gerenciar o time. Já o liberal é aquele que permite que os membros do grupo tomem decisões, mas depende sempre do respeito desses colaboradores.

O último, ou seja, o líder democrático, é também o participativo. Nesse modelo, o gestor tem um papel fundamental para os funcionários, mas não apenas dando ordens e, sim, como orientador. Dessa maneira, ele coordena a equipe e também está comprometido com as entregas, a produtividade e a qualidade do trabalho.

Quais são os benefícios da liderança participativa?

Todos os tipos de liderança possuem pontos positivos e negativos. O que muda na liderança participativa é que todos os colaboradores, em especial os líderes, tornam-se um time consistente e ativo, unidos pelas metas e propósitos da empresa. 

Para aplicar esse conceito na empresa, é preciso ter em mente que existe um equilíbrio entre os objetivos da companhia e as metas pessoais de cada membro da equipe. Além disso, se torna essencial pensar que a eficiência da liderança participativa não depende apenas do líder, mas se torna um trabalho em equipe onde os resultados de todos são somados para obter conquistas em conjunto. 

Entre os principais benefícios desse modelo de gestão estão:

  • Harmonia entre os objetivos da empresa com as habilidades individuais de cada membro da equipe;
  • Clareza na execução dos processos;
  • Coletividade nas definições dos objetivos e das tomadas de decisões;
  • Compartilhamento das informação produzida pelo time;
  • Maior envolvimento das pessoas; 
  • Melhores resultados, comprometimento e motivação dos colaboradores;
  • Aumento da produtividade e das rotinas de trabalho.

Como se tornar um líder participativo?

O líder participativo possui algumas características que são essenciais para colocar esse modelo de gestão em prática. Por exemplo: ele deve sempre estar disposto a incentivar seus colegas de trabalho a participar dos processos, dar feedbacks e ter um canal de comunicação aberto com a equipe.

Isso acontece porque ele tem uma noção clara de que as empresas são resultados do trabalho dessas pessoas e que é necessário que estas estejam satisfeitas para conseguirem contribuir de uma maneira efetiva e gerar os resultados com qualidade. 

Além dessas, existem outras habilidades de um gestor democrático que podem ser desenvolvidas com a experiência ou até mesmo em treinamentos externos; veja quais são: 

1 – Comunicação aberta e clara

O líder que deseja ser participativo deve manter seus canais de comunicação com os colaboradores abertos. É preciso que eles se sintam confortáveis a recorrer ao gestor caso precisem de ajuda ou tenham novas ideias. 

Além disso, é muito importante que ele se comunique de uma maneira eficaz. Isso significa que sua fala deve ser objetiva, transparente e clara com todos os membros do time e outras pessoas que também trabalham na empresa, buscando sempre compreendê-los da melhor maneira e criar uma boa relação com eles. 

Ter essa habilidade ajuda na hora em que se precisa contar com o apoio e colaboração coletiva para alcançar os objetivos que se deseja.  

Leia também: Virei líder, e agora? 7 dicas de ouro para se dar bem no cargo

2 – Feedbacks assertivos 

A comunicação, porém, não fica apenas na base do relacionamento. Como líder, é importante oferecer retorno sobre o trabalho dos seus colaboradores – e de uma maneira  verdadeiramente assertiva. 

Reconheça o bom trabalho dos profissionais que trabalham ao seu lado e, caso seja preciso melhorar alguma ação, seja também essa pessoa. Dessa forma, seu time irá se sentir valorizado e motivado a desenvolver seu potencial. 

3 – Se baseie nos valores

A liderança participativa deve usar como base os valores fundamentais para que os objetivos e metas sejam cumpridos e a empresa esteja bem organizada. Dessa forma, o gestor deve compartilhar com o time a missão, visão, valores e cultura da empresa, fazendo questão de se tornar um exemplo de comprometimento com esses conceitos. 

Quer aprender mais sobre liderança? Conheça os cursos da Pós Anhanguera e conquiste todas as habilidades e conhecimentos necessários para liderar pessoas.

Conheça nossas faculdades