Ir para o conteúdo
Curiosidades

Saúde mental: você está cuidando da sua?

saúde mental

Nunca se falou tanto em manter a saúde mental em ordem. Com a chegada da pandemia do coronavírus, o cenário de muitas pessoas mudou completamente. Sob a possibilidade real em que muitas empresas puderam colocar seus colaboradores em segurança, o home-office virou realidade para os dois lados. No entanto, reuniões, e-mails e mensagens passaram – em muitos casos -, a ser ponto de estresse e pressão, justamente por, ainda na adaptação do processo, não existirem muitos limites acertados.

Com quase cinco meses de quarentena, com o comércio e outras atividades fins reabrindo aos poucos em diversas cidades brasileiras, em contrapartida aos mais de cem mil mortos pela doença, cuidar da cabeça e afastar os pensamentos ruins, bem como viver a vida sem exageros (inclusive no trabalho e nos estudos) tornou-se fator obrigatório para a sanidade de todos.

Por isso, o blog do Portal Pós selecionou algumas práticas importantes para auxiliá-lo no entendimento desses novos processos, dentro da necessidade de cada um, com foco em proteger você e os que estão em sua volta. Confira!

Adeque-se às próprias expectativas

Desenvolver-se ao longo de processos compatíveis com a atual realidade e controlar as expectativas pode ser um bom começo para que o cenário colabore com sua saúde mental. Por isso, vale rever oportunidades, desenhar metas plausíveis e atingir objetivos de forma realista. Exigir de si mesmo mais do que tem que entregar e ultrapassar os limites do estresse não é saudável.

Não recorra ao álcool ou a outros vícios

Substâncias psicoativas aumentam consideravelmente as chances de se desenvolver transtornos mentais. Se você já tiver recebido algum diagnóstico nessa área, o consumo dessas substâncias pode agravar a situação. Sem contar que elas causam problemas degenerativos ao cérebro e, por isso isso, requerem cuidado.

Mantenha-se, mesmo que distante, próximo das pessoas

Com a pandemia, muita gente está perdido e sentindo-se solitário. É fato que, se você pode ficar em casa e evitar aglomerações, deve fazê-lo. Entretanto, manter seu círculo de amizades e pessoas queridas por perto, nem que seja virtualmente, pode trazer benefícios e proporcionar momentos de alívio.

Ser sociável e solidário aos outros também pode formar um círculo positivo de proteção mútua. A interação, mesmo que por videoconferência ou telefone, ajuda afastar os sentimentos de vazio e de solidão.

Cuide do corpo e durma bem

Se você está em casa, aproveite alguns momentos do dia para relaxar. Pode ser por meio de alguns exercícios físicos que te ajudam a desestressar, sessões de meditação guiadas por aplicativos ou ainda em vídeos do Youtube, feitos por profissionais. Além disso, procure alimentar-se corretamente, bem como dormir ao menos oito horas por noite.

No momento em que for deitar para dormir, procure afastar os pensamentos que o levam ao estresse, como por exemplo, preocupações com aquilo que não consegue resolver. Se estiver se sentindo angustiado ou com crises de ansiedade, procure ajuda. E lembre-se: ninguém é feliz o tempo todo.

Programe seu tempo para estudar e trabalhar

Ter momentos específicos para executar seu trabalho ou, ainda, para estudar é muito importante. Tudo porque, de certa forma, para ambientar-se a novas rotinas, é preciso criá-las com o máximo de acuracidade possível. Por isso, defina horários de trabalho dentro do que é estabelecido como se estivesse indo até o local e, ainda, programe seus estudos.

Se você não estiver estudando, mas estiver desmotivado para continuar em sua carreira, por exemplo, que tal buscar um curso novo? Aqui mesmo no Portal Pós existem milhares de oportunidades! Pode ser algo que engrandeça sua profissão, traga novas perspectivas de crescimento ou que transforme sua vida.

Desligue-se da tecnologia sempre que possível

Se sua ansiedade ou momentos de pânico estão atrelados ao uso excessivo da tecnologia (ou ao fato de estar sem acesso a ela), procure desligar-se em alguns momentos do dia. Observe a lista abaixo para saber se o acesso está prejudicando-o mais do que o ajudando:

  • Você não consegue ficar muito tempo longe de notícias ou novidades;
  • Usa a internet para escapar do sentimento de solidão muitas vezes ao dia;
  • Sente sua autoestima cair quando percebe que seus amigos têm mais comentários, curtidas ou atenção do que você;
  • Não consegue concentrar-se de forma adequada para realizar tarefas, mesmo que as tenha programado para determinados horários;
  • Não consegue se desvencilhar de conflitos em redes sociais;
  • Deixa ou já deixou de fazer atividades porque elas não estavam “na internet”. 

Se respondeu sim à maioria dessas questões, talvez procurar um médico especialista seja indicado. Além disso, sabemos que muitos têm vergonha ou algum sentimento de derrota ao necessitar desse auxílio. No entanto, perceber-se em condições de saúde mental desalinhada, indica pontos positivos como amor próprio, autoconhecimento e, principalmente, autocuidado.

Saúde Mental para a OMS

A OMS (Organização Mundial da Saúde) considera que ter boa saúde mental é “contar com um estado de bem-estar que permite a você usar suas próprias habilidades, recuperar-se do estresse, ser produtivo e contribuir para a comunidade”.

Além disso, manter os efeitos negativos e sentimentos ruins distantes, pode ser uma tarefa árdua em estágios de acúmulo de trabalho ou ainda em situações que não podemos controlar sozinhos (como o caso da pandemia, por exemplo). Reflita sobre isso com calma e repense como melhorar sua vida. E cuide de sua saúde mental e física sempre que possível.

E você, está cuidando de sua saúde mental? Conte para o Portal Pós aqui nos comentários e fique bem! 

Conheça nossas faculdades