Ir para o conteúdo
Carreira em Pauta

Fui demitido! Como lidar com a demissão e ficar bem?

Sair de um emprego, ainda mais quando você é demitido de forma inesperada, sempre gera um desconforto por conta da ruptura. Afinal, você tinha uma rotina estabelecida com o lugar e o convívio com os colegas – ainda mais se o trabalho era presencial. Assim, você começa a se questionar e a buscar a razão disso ter acontecido. De acordo com especialistas, o término de um trabalho é parecido com o luto e, desta forma, a pessoa precisa passar pelas fases para saber como lidar com a demissão.

banner de pós-graduação com até 60% de desconto

O primeiro passo é assimilar emocionalmente, aos poucos, para ir se acostumando com a nova realidade. Logo em seguida, vem a fase da tristeza ou indignação. Quando o vínculo com a empresa é muito forte ou de longa duração, a pessoa se sente como se tivesse sido traída, injustiçada e em alguns casos até rejeitada. Nesta hora é preciso acolher o luto e analisar esses sentimentos, compreender o cenário e não deixar que essa sensação se prolongue por muito tempo.

Por último, vem a aceitação, quando é possível encarar a notícia da demissão de uma forma mais tranquila, avaliar os erros e aprendizados e fazer novos planos. A pessoa começa a entender os motivos que levaram a essa ruptura e começa a se preparar para buscar outros caminhos. Ao estabelecer metas, como voltar a estudar, fazer uma viagem, investir em autoconhecimento ou traçar objetivos profissionais é natural que a motivação comece a fazer parte desta nova fase também.

6 dicas de como lidar com a demissão e recomeçar

1 – Entenda o motivo da demissão

É sempre importante saber o que levou a empresa a dispensar você do cargo que ocupava. Isso também faz parte do processo de como superar uma demissão. Às vezes, pode ser um desligamento por conta de cortes devido a uma crise financeira na companhia ou por instabilidade econômica do país. Mas caso você tenha falhado em algum aspecto ou não tenha desempenhado as funções de acordo com as expectativas da empresa, entender esse ponto ajudará no seu crescimento profissional e pessoal.

2 – Avalie as suas finanças

Verifique como estão as suas contas e gastos previstos para conseguir ter mais controle nos próximos meses. O ideal é fazer uma planilha de planejamento com base no valor que você receberá na sua rescisão contratual de trabalho. Veja também se é possível aproveitar esse momento para investir em crescimento profissional e poder recalcular a rota que deseja trilhar com calma. Isso é importante para que a busca por recolocação não se torne uma tarefa desesperadora e, quando a próxima oportunidade surgir, esteja alinhada ao seu perfil e objetivos.

3 – Reveja a sua carreira

Aproveite esse momento para fazer um balanço da sua carreira e para se atualizar. Busque informações sobre as principais tendências da profissão, aperfeiçoe as suas competências e, se possível, faça cursos, participe de palestras, oficinas ou workshops. Desta forma, você terá uma bagagem ainda maior para tentar novos desafios, participar de processos seletivos e ocupar um cargo mais elevado em outra empresa.

4 – Atualize o seu currículo

Assim que possível, atualize o seu currículo e faça uma revisão para que não falte nenhuma informação pertinente. Deixe-o atrativo e objetivo para iniciar os envios às empresas. Vale também entrar em sites de empregos, atualizar ou fazer novos cadastros para poder se candidatar às vagas. Esta também é uma boa oportunidade para investir em cursos, como os de pós-graduação, e aumentar as chances de emprego.

Leia também: Carta de apresentação: como fazer um conteúdo imbatível

5 – Recorra ao seu networking

Hoje em dia, uma das formas mais eficazes de se conseguir uma oportunidade de emprego é por meio de indicações. Por isso, recorra à sua rede de contatos. Avise que você está disponível no mercado e aberto a propostas. Converse com os antigos colegas de trabalho, professores, amigos e profissionais da área. O LinkedIn é uma ótima ferramenta para isso. Além de interagir com as pessoas por lá, você também poderá se candidatar às vagas.

6 – Busque freelas ou fontes de receita

Uma alternativa para obter uma renda extra enquanto não aparece o emprego fixo é buscar trabalhos temporários ou freelas. Pode ser em alguma área que você se identifique ou na mesma para qual você já atua. Talvez, colocando em prática uma atividade nova, você até decida seguir com ela de forma efetiva. Assim, esta se tornará a sua principal fonte de renda em um formato de trabalho autônomo.

Seguindo essas dicas, você vai começar a se sentir melhor e saberá como lidar com a demissão. E que tal dar um upgrade no seu currículo iniciando uma pós-graduação? Com a Unopar especialização você terá a sua certificação em um período de 6 ou 10 meses e poderá estudar com flexibilidade, escolhendo os melhores dias e horários.

Conheça nossas faculdades