Ir para o conteúdo
Mercado de Trabalho

3 soft skills necessárias para o ambiente de trabalho híbrido

Desde a revolução industrial, muitos episódios marcaram a história da humanidade e do setor operacional. Durante muito tempo, educação, habilidades técnicas e experiência foram o coração de um currículo. Hoje, mais que isso, outras soft skills se destacam e fazem que um profissional evolua no mercado, principalmente quando falamos de um cenário de trabalho híbrido – tendência que promete ficar pelos próximos anos.

Mas o que são soft skills?

Cada vez mais conhecidas e pontuadas em entrevistas de empregos, as soft skills significam habilidades comportamentais para desenvolver tarefas diárias. Elas estão diretamente ligadas à maneira que interagimos com as outras pessoas, conosco ou com demandas. 

Leia também: Remoto, híbrido ou presencial: qual estilo de trabalho combina com você? 

Qual deve ser a visão de um modelo híbrido?

Sem dúvida, uma das principais características que chama a atenção no modelo híbrido é a flexibilidade. Mas, para que a mesma seja alcançada com sucesso, é necessário organização. Para que uma empresa, por exemplo, passe por essa mudança estrutural, ela precisa de um planejamento que envolva âmbitos administrativos e sociais. Ou seja, além de aplicar metodologias de trabalho, também são necessárias ações que incentivam e prezam pela estabilidade de quem vai agir, independente do cargo ou do setor.

Vantagens da transição para um local de trabalho híbrido 

Segundo uma pesquisa da consultoria Robert Half, 95% dos executivos entrevistados veem o trabalho híbrido como uma estratégia permanente do cenário dos empregos. Isso por conta das vantagens que compõem a categoria. Veja algumas abaixo:

  • Menos distrações no escritório, levando a um maior foco e produtividade;
  • Evita perda de tempo no deslocamento, além de economizar com o transporte;
  • Mais equilíbrio entre vida pessoal e profissional;
  • Benefícios de saúde física e mental para certos trabalhadores, levando a menos faltas;
  • Novas experiências considerando que você pode trabalhar em lugares diferentes diariamente;
  • Autoconhecimento, por ser uma maneira de desenvolver novos ciclos de rotina e liberdade de escolha.

Então, quais são as soft skills necessárias para o ambiente de trabalho híbrido?

1- Inteligência emocional

Habilidades como empatia, colaboração e resiliência são algumas das características que se encaixam na inteligência emocional e fazem a diferença na hora de se adaptar ao ambiente de trabalho híbrido. 

Quando você exerce a empatia e a colaboração, você aprende que, mesmo não estando em um escritório fechado, ainda há uma rotina de troca com possíveis colegas de trabalho, gestores, clientes e até pessoas que você não conhece diretamente. Já a resiliência é a capacidade de lidar com mudanças, se adequar a situações inesperadas e lidar da forma fluida com possíveis problemas. Esse é o combo perfeito para uma inteligência emocional instável e resolutiva. 

2 – Comunicação produtiva

A comunicação está no epicentro de tudo. Seja em um ambiente de trabalho convencional ou híbrido, ela continua como um dos pilares fundamentais. Afinal, somos seres humanos e evoluímos continuamente a comunicação desde o momento do nascimento. Ao contrário do que muitos pensam, a comunicação não está somente na articulação verbal, mesmo que ela seja importante.

Ter uma comunicação produtiva no ambiente híbrido envolve uma boa abordagem de gestão, atenção aos detalhes, escuta ativa e até expressão corporal. Um exemplo simples é quando você está em uma reunião por videoconferência: mesmo que a distância, sua presença naquele momento merece uma atenção especial em todos os aspectos que envolvem a comunicação. Assim, o trabalho se torna mais natural e efetivo.

3 – Intraempreendedorismo

Há quem diga que todo mundo tem um pouco de espírito empreendedor dentro de si. Inclusive, a tendência é que cada vez mais as pessoas explorem esse lado e tomem iniciativas de abrir seus próprios negócios. Segundo a pesquisa global Entrepreneurship Monitor (GEM), em 2020, mais mulheres, jovens e pessoas com mais de 55 anos começaram a empreender – 14 milhões de brasileiros, para ser exato. 

Por isso, termos como o intraempreendedorismo, utilizado para definir o ato de encontrar oportunidades de empreender, inovar e exercer a criatividade no seu local de trabalho (próprio ou não), tornam-se mais presentes e fundamentais no modelo híbrido. Isso porque, além de colaborar para uma visão mais ampla dos negócios, você ainda exerce foco, motivação e pensamento ágil. Legal, né?

E aí? Você é do time que está preparado para a evolução do trabalho híbrido? Não perca tempo e potencialize ainda mais sua carreira com um dos cursos do Portal PósAproveite e veja também opções de Pós EAD em Saúde!

Conheça nossas faculdades